AK Delicatessen

AK DelicatessenAmigos paulistanos têm recomendado muito bem o restaurante AK Delicatessen, comandado pela chef Andrea Kaufmann. O estabelecimento apresenta sua cozinha como culinária judaica contemporânea. O cardápio conta com conservas, patês, fiambres e outros acepipes típicos dos ashkenazim. Mas também há hambúrgueres, nhoque e outros pratos da culinária internacional. Os “burgers”, como dizem os paulistanos, são bastante famosos.

Pedi como entrada um gefilte fish com gelatina e conserva de raiz forte, ou hrein (R$ 13,50). Esse bolinho de peixe talvez seja o item mais icônico da cozinha iídiche, mas nunca o havia provado. O sabor na verdade é muito suave, bem menos marinho do que um bolinho de bacalhau, por exemplo. A gelatina feita com o caldo do peixe é delicadíssima. A raiz forte é uma combinação perfeita.

AK DelicatessenPara ter o melhor de dois mundos, o tradicional e o ocidental decadente, encomendei como prato principal o AK Burger (R$ 27), um hambúrguer com queijo brie e pastrami, acompanhado de cogumelos refogados com creme e latkes. Assim como no gefilte fish, os ingredientes do hambúrguer garantem um sabor muito suave, ressaltando a carne. As panquecas de batata são uma alternativa divertida às fritas normais. Não gostei muito dos cogumelos, embora a idéia de colocá-los junto do hambúrguer seja legal. A meu ver, porém, o gosto lembra o de molhos de cogumelo industrializados — talvez tenha sal demais. O AK Burger é caro, mas é uma refeição enorme. Quase não aguentei comê-lo inteiro após a entrada.

O restaurante de Andrea Kaufmann é muito agradável e merece ser visitado em São Paulo. Lamento não ter tido tempo de voltar lá para comer o bagel com cream cheese e lox, ou os varenikes.

AK DELICATESSEN
Rua Mato Grosso, 450 – Mapa
11 3231-4497

3 Comentários

  • By Guilherme Atencio, 01/02/2010 @ 19:14

    Muito interessante, e aparentemente saboroso também. a parte do “um hambúrguer com queijo brie e pastrami” certamente deve ter rendido alguns inimigos à chef, mas eu fiquei curioso pra experimentar.

  • By Herminia Albuquerque, 03/02/2010 @ 01:17

    Oi Träsel,

    é chrein e não herin.

    Em hebraico transliterado o ‘ch’ tem som e ‘r’ forte.

    um abraço, Hermínia

  • By Träsel, 03/02/2010 @ 02:08

    Perdão, Hermínia, não sei hebraico. Escrevi como estava no cardápio.

Other Links to this Post

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URI

Deixe um comentário

WordPress Themes