Category: Pornografia culinária

Ovos no cesto

Ovos no cesto

Soube há pouco tempo da existência do prato egg in the basket, uma guloseima servida às crianças nos países onde os ovos são um protagonista do café da manhã. Há poucos pratos mais divertidos de se fazer.

Basta abrir um buraco no meio de uma fatia grossa de pão, tostar um lado na frigideira com manteira, virar, botar manteiga no meio, quebrar o ovo dentro e deixar cozinhar. Pode-se virar após o lado de baixo atingir uma consistência adequada, para que os dois lados do ovo fiquem cozidos. O importante é deixar o interior viscoso, para dar o efeito acima quando cortado.

Como nunca me serviram isso na infância, terei de recuperar o tempo perdido fazendo em casa dia sim, dia não.

Cozinha caótica

Ribollita, por Kayotik Kitchen

Já recomendei aqui o Kayotic Kitchen? Não? Pois então. Excelentes receitas e belas fotos. Que mais se pode esperar de um site de culinária? A autora, aparentemente, vive em Amsterdã, tem um filho pequeno e um terraço.

Obsceno!

Não há outro adjetivo para classificar esse vídeo produzido pelo restaurante Alinea, de Chicago, Estados Unidos.

Cortesia do Solon.

Não há nada que mulheres nuas não vendam

Vinho hippie

Nem vinho. A vinícola Avondale, da África do Sul, usa técnicas orgânicas. O que isso tem a ver com gente pelada numa cave não é muito evidente. Aliás, gente nua perto de alimentos não costuma ser uma associação muito feliz. Ótimo pinotage, em todo caso.

Almoço de domingo

Costelinha de cordeiro

Costelinha de cordeiro assada por uma hora e meia no fogo médio-alto. Nem precisa marinar antes; como o corte e fino, o sal e os temperos pegam durante o cozimento. Deixe os ossos sempre virados para baixo, para manter a suculência.

Feliz Natal!

3061877107_127a862f24.jpg

Já que eu não consegui arranjar tempo de publicar algumas sugestões de receitas para o Natal aqui, fiquem com essa bela imagem do turgooduccochiqua. Trata-se de um ganso recheado com um peru recheado com uma galinha recheada com um pato recheado com um frango recheado com uma codorna. Juro que no ano que vem vou tentar fazer algo assim, nem que seja um mero perupatolinha.

Dica do Mojo, lá no O de sempre nunca.

WordPress Themes