Posts tagged: burger

AK Delicatessen

AK DelicatessenAmigos paulistanos têm recomendado muito bem o restaurante AK Delicatessen, comandado pela chef Andrea Kaufmann. O estabelecimento apresenta sua cozinha como culinária judaica contemporânea. O cardápio conta com conservas, patês, fiambres e outros acepipes típicos dos ashkenazim. Mas também há hambúrgueres, nhoque e outros pratos da culinária internacional. Os “burgers”, como dizem os paulistanos, são bastante famosos.

Pedi como entrada um gefilte fish com gelatina e conserva de raiz forte, ou hrein (R$ 13,50). Esse bolinho de peixe talvez seja o item mais icônico da cozinha iídiche, mas nunca o havia provado. O sabor na verdade é muito suave, bem menos marinho do que um bolinho de bacalhau, por exemplo. A gelatina feita com o caldo do peixe é delicadíssima. A raiz forte é uma combinação perfeita.

AK DelicatessenPara ter o melhor de dois mundos, o tradicional e o ocidental decadente, encomendei como prato principal o AK Burger (R$ 27), um hambúrguer com queijo brie e pastrami, acompanhado de cogumelos refogados com creme e latkes. Assim como no gefilte fish, os ingredientes do hambúrguer garantem um sabor muito suave, ressaltando a carne. As panquecas de batata são uma alternativa divertida às fritas normais. Não gostei muito dos cogumelos, embora a idéia de colocá-los junto do hambúrguer seja legal. A meu ver, porém, o gosto lembra o de molhos de cogumelo industrializados — talvez tenha sal demais. O AK Burger é caro, mas é uma refeição enorme. Quase não aguentei comê-lo inteiro após a entrada.

O restaurante de Andrea Kaufmann é muito agradável e merece ser visitado em São Paulo. Lamento não ter tido tempo de voltar lá para comer o bagel com cream cheese e lox, ou os varenikes.

AK DELICATESSEN
Rua Mato Grosso, 450 – Mapa
11 3231-4497

Mundo burger

Em homenagem ao Cardoso, três dicas de sites relacionados a hambúrgueres e assemelhados:

A matemática do hamburger

Uma discussão recorrente entre meus colegas de trabalho e eu é sobre qual hamburger é melhor: o do America ou o do Joe & Leo´s?

Eu sempre fui um grande defensor do segundo, e pelas mais variadas razões:

РNenhum dos hamburguers do Am̩rica que eu provei chegou perto do Bravo Burger, meu favorito do menu do J&L.

– O America não possui no cardápio nenhuma opção mais robusta. Seu maior hamburger tem 200g de carne, contra 450g do The Power, a maior –- e exagerada –- opção do J&L (o Bravo tem 350g).

– No J&L, apresentando ingresso do Unibanco Arteplex do mesmo dia e consumindo um prato principal, ganha-se um Rock´n Ball, ótima sobremesa composta por um rocambole de doce de leite acompanhado por uma bola de sorvete de creme e calda de chocolate.

– O programa de fidelidade do J&L dá uma refeição à escolha totalmente grátis a cada sete consumidas, enquanto o America tem um programa complexo, que inclui uma moeda própria, o Colombo (pra se ter uma idéia: cada 20 Reais consumidos valem 1 Colombo e é preciso 22 deles para ganhar uma refeição grátis).

Mas agora tudo mudou. Pode colocar todo o texto acima no passado. O 8º Festival do Burger chegou ao America.

Trata-se de um menu especial (infelizmente temporário), com hamburgers feitos com 100% carne Angus, considerada a melhor carne bovina do mundo. Nadinha de gordura. E só para se ter uma idéia do capricho das opções, os dois que eu provei:

Рhamburger Angus de 210 gramas servido com cebola caramelizada com cerveja preta, provolone grelhado, tapenade de azeitonas, alface frizz̩ e maionese no p̣o australiano. (Uma boa pedida pra quem ṇo se importa com tons adocicados no prato principal.)

Рhamburger Angus de 210 gramas servido com queijo cheddar, presunto tipo parma, tomate, agrịo e maionese no p̣o ciabatta redondo. (Fenomenal.)

E antes que alguém se espante por eu ter comido dois hamburguers, explico: além do belo menu, o Festival do Burger tem uma promoção bem interessante: consumindo um hamburger, ganha-se um vale para comer outro totalmente grátis no final de semana seguinte.

Ou seja, divide-se o valor do hamburger (24,95, com acompanhamento: fritas, fritas com cheddar e bacon ou anéis de cebola) por dois e sai mais barato que comer no McDonalds. E de quebra ainda se ganha a oportunidade de provar dois pratos do menu em pouco tempo.

Quer mais? Indo lá na terça à noite, eles ainda dão um ingresso para o cinema (GNC Iguatemi), válido em qualquer dia da semana. Aí é só voltar lá no fim de semana e aproveitar um hamburger grátis e um cineminha (bônus de mais 13 Reais) por conta dos americanos.

AMERICA
Av. Jọo Wallig, 1800 РShopping Iguatemi

Ritz

Ritz burgerO Cardoso vive elogiando o Ritz, um restaurante de comida de boteco chique com duas lojas nos jardins paulistanos. O carro chefe da casa são os hambúrgueres em suas diversas apresentações — ou “burgers”, como preferem os paulistas. Confesso que a perspectiva de pagar entre R$ 20 e R$ 30 por um sanduíche não era lá muito animadora, mas como além do Cardoso o Renato Parada e o Daniel Galera são fãs dos burgers, considerei ser meu dever como repórter gastronômico experimentá-los.

Pois eles têm razão! Os hambúrgueres desse tipo de estabelecimento estão em um nível muito acima do xis nosso de cada dia. De fato, não podem ser considerados meros lanches, mas comida séria. Percebe-se no Ritz o mesmo cuidado com os ingredientes e no preparo e apresentação dos pratos que se percebe nos bons restaurantes. A carne moída é de qualidade e o hambúrguer — feito à mão, é claro — não vem completamente carbonizado, mas num ponto um tanto rosado. O pão é fresco, assim como a salada. Há ketchup, mostarda e pimenta de boa procedência para temperar a comida.

Pedi um Ritz Burger acompanhado de anéis de cebola e bolinhos de arroz (R$ 32). O sanduíche tem no recheio pancetta, salada e maionese, além da opção de queijo cheddar ou gorgonzola — fui de cheddar. Os bolinhos de arroz podem servir como modelo para cozinheiros Brasil afora e os anéis de cebola são bons, mas nada espetacular. Provei ainda o burger com gorgonzola que a Tati pediu e achei a combinação excelente, ao contrário do que a intuição insinuou.

No fim das contas, o prato é imenso e mais do que satisfaz, o que significa que pagar entre R$ 20 e R$ 30 é razoável. Só é bom chegar cedo, se não quiser pegar uma fila imensa.

RITZ
Alameda Franca, 1088 – Mapa
11 3088-6808

Rib’s reencarnou no The Best Food

Um dos lugares que mais deixou saudades em Porto Alegre foi a lancheria Rib’s. Os mais jovens devem conhecer mostarda e ketchup com essa marca. Ela existiu até o final dos anos 90, pelo menos, em dois endereços: a praça Júlio de Castilhos, no Moinhos de Vento, e a esquina da Rua da Ladeira com a Rua da Praia, no Centro. Houve um breve período em que se instalou no shopping Praia de Belas, mas nunca conto essa filial.

O Rib’s de verdade era uma lancheria de outra Porto Alegre, uma cidade em que a rua 24 de Outubro ensaiava se tornar o eixo principal do comércio grã-fino e o Centro era ainda o centro da vida comercial. Uma época em que a cor local era valorizada, não o simulacro asséptico de primeiro mundo a que a insegurança das ruas nos prende hoje.

O Rib’s de encarna aspectos de tudo isso em minha memória. O cardápio era uma releitura dos lanches do McDonald’s, como não podia deixar de ser, mas dotado de indiscutível sabor próprio. Sabor conferido pela maionese com curry ou pelo molho rosé espalhados em todos os sanduíches. Eram bem diferentes dos xis que se encontrava em qualquer esquina. O milk shake virou motivo de lenda, algumas pessoas acreditam que só aquela máquina específica, a da praça Júlio de Castilhos, conseguia fazê-lo corretamente. Pois essa máquina hoje está no The Best Food do Assis Brasil Strip Center, segundo consta, resgatada por ex-funcionários da empresa original.

Há alguns dias almocei na filial da rua 24 de outubro, na esquina com a Lucas de Oliveira. Comi o Xis dos Deuses, com bacon e a maionese com curry. Continua igual aos da minha infância, quando almoçava nessa lancheria com meus pais. O milk shake também. Claro que o cardápio tem concessões aos tempos correntes, então não podia faltar o prato light, com salada e frango. Basta ignorá-lo. Infelizmente, não é possível ignorar a total ausência de charme do ambiente atual como se pode ignorar um peito de frango no cardápio. A comida do The Best Food pode ser igualzinha à do Rib’s — o que não é pouco, diga-se de passagem –, mas a Porto Alegre em que ela nasceu ficou no milênio passado.

THE BEST FOOD
Rua 24 de Outubro, 1320 – Auxiliadora
Tele-entrega: 3337-7761

Assis Brasil Strip Center – Cristo Redentor
Tele-entrega: 3340-4055

WordPress Themes