Para jornalistas, no dos outros é refresco

A Petrobras criou um blog para responder e comentar os fatos e dados apresentados na imprensa e na CPI que investiga a gestão financeira da empresa e sua atuação no mercado. É uma estratégia bastante inteligente, porque faz um contraponto à agenda do Congresso e da própria imprensa. O maior risco nessas situações é uma instituição ou indivíduo ficar dependente do espaço que o noticiário resolve lhe dar. Mesmo que um blog como esse tenha muito menos audiência, ao menos em princípio, do que os jornais e parlamentares aos quais responde, se por acaso divulgar informações relevantes poderá contar com os efeitos de rede proporcionados pela própria rede mundial de comunicação mediada por computadores para disseminar esses conteúdos.

Interessante mesmo é que os repórteres parecem não ter gostado muito da tática de publicar as perguntas e respostas dadas pela assessoria, sem edição. O Estadão e o Globo questionaram a prática adotada pelos editores do blog, o primeiro jornal inclusive tentando pintá-la como ilegal. Pois não é. O destinatário de uma mensagem não pode publicá-la na íntegra, ou mesmo em partes, sem autorização do remetente. Porém, tem o direito de divulgar o conteúdo da mensagem a quem bem entender. É o que a Petrobras está fazendo. O objetivo, claro, é permitir ao cidadão comparar as informações fornecidas pela empresa com a notícia publicada pelos jornais e assim poder verificar qualquer tipo de distorção. Em outras palavras, é constranger os repórteres, editores e diretores, para garantir que tomarão cuidado ao editar as respostas e redigir suas matérias.

O trabalho do jornalista é expor a vida dos outros, mas parece que os caros colegas do Estadão e do Globo consideram desconfortável ver a própria rotina produtiva tomando banho de sol. Até o surgimento da Internet e, sobretudo, das mídias sociais, os jornalistas detinham poder quase total sobre as informações publicadas ao final do processo de confecção das notícias. Era o redator quem decidia quais declarações das fontes entrariam no texto final e contra quais dados elas seriam postas. Como jornalistas são seres humanos, sujeitos a erros, ignorância e preconceitos, é natural que quase sempre houvesse alguma distorção involuntária — ou voluntária, porque seres humanos também são sujeitos à maldade. O máximo que a fonte indignada podia fazer era enviar uma carta tentando esclarecer os fatos, ou então entrar com um processo judicial contra o veículo, buscando seu direito de resposta. Hoje, basta a essa fonte criar gratuitamente um blog no WordPress.com ou outro serviço qualquer e divulgar sua versão.

Nada poderia ser mais saudável para a democracia. Alguém pode argumentar que se trata de pressão indevida de uma poderosa estatal — e, por conseguinte, do governo — sobre a imprensa, mas um repórter ou um jornal honestos não deveriam se sentir pressionados pela transparência. Se o código de ética jornalística foi seguido em todos os momentos e se os profissionais tomaram decisões editoriais conscientes e podem portanto justificá-las, não há o que temer. “Quem não deve, não teme.” Não é o que nós, jornalistas, sempre dissemos a nós mesmos quando publicamos notícias com potencial para arrasar a vida de uma pessoa ou a imagem de uma instituição? Pois, então, se serve para os outros, tem de servir para nós também. Todos têm direitos e deveres iguais numa democracia. O jornalismo deve ser fiscalizado pela sociedade, assim como pretende fiscalizá-la.

36 ideias sobre “Para jornalistas, no dos outros é refresco

  1. Diego Camara

    “O destinatário de uma mensagem não pode publicá-la na íntegra, ou mesmo em partes, sem autorização do remetente. Porém, tem o direito de divulgar o conteúdo da mensagem a quem bem entender.”

    Meu caro Marcelo, você poderia me explicar qual a diferença entre publicar uma mensagem e divulgar o conteúdo dela?

  2. Träsel Autor do post

    Diego, “publicar na íntegra” é copiar e colar a mensagem, “divulgar o conteúdo” é explicar nas próprias palavras o que diz a mensagem.

  3. Hermano

    Só tem UM problema: a divulgação de perguntas e respostas não pode nunca ser ANTES da publicação de uma matéria exclusiva. Só isso.

  4. Alec Duarte

    Träsel,

    O único problema que enxerguei no blog da Petrobras é o fato dele vazar pautas para a concorrência. Isso sim é imperdoável.

    abs

  5. muzell

    Vazar pautas para a concorrencia eh imperdoavel mesmo.
    Mas acho otima a ideia de ter uma versao da fonte sempre disponivel (claro, depois que a materia saiu). Concordo muito contigo, trasel, ninguem pode se sentir pressionado pela transparencia. Alias, a falta de transparencia dos reporteres e’, pra mim, uma das maiores causas de porque as pessoas nao confiam na imprensa como deveriam. Saber como tu conseguiu a informacao e’ direito do leitor.

  6. Träsel Autor do post

    É verdade, vazar informação exclusiva é sacanagem. Quando escrevi o texto ontem não sabia desse detalhe.

    Ainda assim, embora não seja nada gentil, não chega a ser imoral ou ilegal. A Petrobras não tem nenhuma obrigação com os repórteres que a procuram, exceto fornecer as informações, assim como nenhum cidadão tem. É uma instituição no meio de uma guerra de imagem, valendo-se das armas que tem.

    Sacaneou? Sacaneou. Mas câmera escondida também não é sacanagem e não fazemos o tempo inteiro, sempre alegando “interesse público” e coisas assim para justificar? Continuo achando meio infantil essa atitude de só querer brincar quando as regras nos favorecem.

  7. Diego Camara

    Obrigado Marcelo, entendi o que quis dizer com sua afirmação.

    Realmente a Petrobras tem o direito disto, mas concordo com o que disse o Sergio Leo em seu blog e também dito pelo Alec Duarte e o Muzell. Acredito que a Petrobras está fazendo algo errado em divulgar as pautas antes de serem publicadas, acredito que depois da publicação seria o meio mais correto a se fazer.

  8. Hermano

    “Ainda assim, embora não seja nada gentil, não chega a ser imoral ou ilegal.”

    É uma canalhice, sim. Lamento.

    É cagar em cima do esforço e do talento de quem teve uma idéia antes.

  9. Pingback: E por que não… PetroPress? « E por que não ?

  10. Träsel Autor do post

    Hermano, também concordo que é sacanagem. Aliás, disse desde o início que o objetivo do blog é constranger os repórteres. A questão que estou querendo colocar é: e daí? E daí que as fontes resolveram jogar esse jogo com as mesmas armas da imprensa? Alguns até ousariam dizer que o mundo funciona assim. Não acho que responder com mimimi ajude muito a imprensa nesse caso.

  11. Tiago Mesquita

    Não é sacanagem. Hoje em dia isso é possível. é uma nova relação que as equipes de reportagem terão que trabalhar. Paciência, a tecnologia permite isso. As empresas de comunicação agora terão que trabalhar com mais empenho e produzir informação mais rica.

  12. Hugo Pacheco Jr.

    O que a Petrobras deveria se preocupar é com a Lei de Transparência dos Gastos Públicos, sancionbada no dia 27.
    Para isso sim, o blog seria uma grande iniciativa. Porém é utilizado na tentativa de tolir o trabalho jornalístico, pelo o qual lutamos afim de que seja reconhecido pelo STF, no próximo dia 10.

  13. Hermano

    “A questão que estou querendo colocar é: e daí? E daí que as fontes resolveram jogar esse jogo com as mesmas armas da imprensa?”

    Não são bem as mesmas armas. É como se Israel lançasse um ataque preventivo com bomba suja para prevenir o lançamento de um skud palestino.

  14. Träsel Autor do post

    “Não são bem as mesmas armas. É como se Israel lançasse um ataque preventivo com bomba suja para prevenir o lançamento de um skud palestino.”

    Está querendo dizer que um blog no WordPress.com tem mais poder que um portal ou jornal, Hermano?

  15. Pedro Penido

    A Petrobrás tem todo o direito de responder publicamente, ipsis literis, toda e qualquer pergunta a ela direcionada, principalmente tratando-se da Imprensa Formal, cujo objetivo, em tese, é transparecer à população tais respostas, alinhando-as com Críticas sérias e profundas. Assim se faz a democracia, em teoria. Em teoria.

    Sou jornalista e não acho nada errado, nem imoral, nem sacanagem, manter este espaço. Cabe à mídia sair do marasmo de colher dados brutos e torcê-los. Cabe à mídia fazer análises críticas destas respostas divulgadas e, dentro do (possível) espirito investigativo, levar adiante pontos não contemplados nas respostas, inquirindo-os e cobrando mais informações, mesmo que a Petrobrás venha a responder em seu blog ou qualquer outro canal virtual/digital.

    Isso é transparência. Jogo aberto. Cara a cara.
    Se a Petrobrás tem o blog para responder, façamos as perguntas certas. Se ela tem algo a esconder, quando sofrer um xeque-mate, será enforcada com a própria corda. Caso contrário, à Mídia resta manter a cobrança, a prudência, a criticidade e o compromisso com o povo.

  16. Pingback: Comentários: Blog da Petrobrás « Meio Digital

  17. Pingback: links de uma segunda braba « O blog do Guaciara

  18. Leandro Demori

    O blog é legitimo, mas fantasia muito quem acredita que nele se postará A VERDADE sobre a Petrobras – justo em um blog gerido… pela Petrobras. Nele haverá tantas verdades, mentiras e omissões quanto há nos jornais que se sentiram ofendidos.

    Em relação à publicar os “furos”, duas coisas:
    1) Jornalistas, quando acham que o furo vale a pena, não pensam duas vezes antes de queimar uma fonte, divulgando informação que deveria ser em off e até mesmo nomes. Não entendo o espanto quando o fogo vem do outro lado.

    2) Jornalista entregando furo em perguntas, e por e-mail? Lamento.

  19. Träsel Autor do post

    Realmente, se alguém considerar esse blog algo mais do que uma arma de relações públicas, está enganado.

    O fato é que eles fornecem ao público o mesmo material que fornecem aos jornalistas e isso garante a transparência do trabalho de reportagem em questão, não da Petrobras em si.

  20. rodrigo martins

    concordo com o pedro penido. acho até que é uma idéia a se seguir!

  21. Leandro Demori

    Exato, Träsel, e nada além disso.

    Mas há um forte cordão da legitimidade do blog por que ali está “a verdade”, em oposição ao que publicam os jornais maus, feios e bobões, que é onde está “a mentira”.

  22. Tiago Medina

    É uma estratégia nova que o tempo dirá suas consequências.
    A internet possibilita esse fluxo de informações e os jornalistas – mais do que ninguém – devem estar conscientes disso.

  23. Hermano

    Coloquei melhor as idéias no lugar e percebi que é mais um aspecto do fracasso das leis do País na regulação dos mais simples conflitos. Não há nenhuma lei que impeça a Petrobras de publicar perguntas e respostas antes de uma reportagem sair, assim como não tem nenhuma lei que impeça qualquer jornalista de violar um off. Culpa de alguém? Sim, de quem não fez lei pra isso.

    Acontece que o jornalista é tão desorganizado como categoria que nem tratar como pária pro resto da vida o colega que faz estas coisas ele consegue. Até hoje o filho da puta que entrevistou Lindemberg no cativeiro ganha tapinha nas costas. Preciso inclusive saber como anda este inquérito.

  24. Gabriel Brust

    A coisa me parece muito mais grave do que este blog e do que muita gente está vendo.

    Pensem na questão simbólica de tudo: temos uma empresa estatal, que está sob fortes acusações de irregularidades e corrupção, fazendo um trabalho desesperado para NÃO SER investigada. Resumindo, um governo que aparelhou uma estatal está sendo acusado de corrupção através dela e, para escapar à investigação, utiliza a tática de demonizar a imprensa, um dos pilares do estado democrático.

    Basta ler os comentários do blog para perceber o efeito disso: povo querendo fechar jornal e criar o GARNMA brasileiro.

    Medo.

  25. Gabriel Brust

    Outra coisa: o objetivo do blog não é ampliar o espaço democrático de debate, mas criar a verdade única do Estado. É o que faz ao propora postura do “a imprensa toda manipula, aqui está a verdade”.

    E o espaço é tão democrático que eles só publicam comentários de petistas e de quem os apoia. Aqui está o teste feito por um leitor que tentou postar uma crítica:
    http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/o-nosso-blog-e-o-deles-mais-uma-farsa-revelada/

    Ou seja, estão fazendo um blog sectário com o MEU dinheiro, e com o TEU dinheiro.

  26. Träsel Autor do post

    Brust, realmente não vejo como a publicação das perguntas e respostas impede qualquer investigação. A Petrobras, afinal, está respondendo às questões enviadas.

    Quanto à tal demonização, quem se encarregou disso foi principalmente a própria imprensa, publicando matérias sobre o tal blog e fazendo o leitor suspeitar que alguma coisa se passa de estranho ali. Houvessem ignorado o assunto e apenas os comentaristas anti-Mídia Má estariam lendo o blog. Agora, quem viu a matéria no Globo e odeia a mídia vai pensar que estão reclamando porque algo fizeram de errado, assim como tu, que lê o Reinaldo Azevedo, acha que está errada a Petrobras.

    “Outra coisa: o objetivo do blog não é ampliar o espaço democrático de debate”

    Óbvio que não é um espaço democrático de debate: é um espaço de defesa da Petrobras. Acredita nos textos e comentários quem for imbecil para tanto. O espaço democrático aqui é a Web, que permite ao cidadão interessado ver a entrevista completa e compará-la com o que foi publicado na imprensa, para então concluir se o trabalho de reportagem foi ou não bem feito. Não acho que meu texto diga qualquer outra coisa, senão isso.

  27. Pingback: Praia de Xangri-Lá » Blog Archive » Leandro Demori e o blog da Petrobras

  28. Pingback: A Petrobrás está estragando uma boa idéia — Velho do Farol

  29. Emiliano

    Trabalho num veículo em que a Petrobras representa uma parte considerável da publicidade e estou envolvido em um projeto que recebeu incentivo dela.

    Dito isso, os jornalistas são os que menos tem que se preocupar com os “fatos e dados” da empresa pública. Até agora eles não furaram ninguém, só comentaram coisas já publicadas. Esse seria o único problema. E, a longo prazo, um tiro no pé da Petrobras, porque os bons repórteres acabariam encontrando fontes que não vazassem suas entrevistas para um blog corporativo.

    Por outro lado: acho que isso tudo só mostra a falência das seções de carta e dos direitos de resposta.

  30. nicolasn

    …..SIMPLES….TRANSPARÊNCIA DE UM LADO …TRANSPARÊNCIA PARA TODOS OS LADOS….estão reclamando de qué esses jornalistas de meia tigela ???
    uma empresa do tamanho da Petrobras, ou até menores,,,tem jornais proprios, revistas internas,externas.. aquilo é uma cidade..
    pela complexidade, milhares de contratos com milhares de empresas..milhares de jonalistas, publicitarios, engenheiros…etc. eu ainda acho muito pouco ter apenas um blog..demorou..!
    (nao tem nada de sacanagem publicar o que perguntarem..isso é bobagem de jornalismo que acha que tem o monopolio da informaçao…..eu nao sou jornalista e tenho o mesmo direito..)

    Petrobras é uma empresa pública, eu mesmo tenho umas açoes nela…tenho , tenemos, todo o direito de nos informar…
    tem um comentarista qeu questiona se são verdades o mentiras as publicadas no blog da Petro..meu irmão, isso é simples…nao sei se vc fala verdade ou mentiras…vai por sua conta..
    As empresas tem auditoria de todos os tipos…se houver maracutaias.. para isso existem os caminhos legais..etc..
    …heheh pergunta ao ex secretario da segurança de Serra…ao Maluf, ao Daniel Dantas…as VEjas…
    o problema nao é o que se publica, garantido pela lei de livre expressao..e tal..o problema é que a justiça nao funciona quando excessos dessa liberdade..
    por muito menos em outros paises..os diretores e jornalistas da Veja estariam em cana…e a editora fechada..nem falar da Globo, bah…,,do PIG em geral,,
    que Viva a Transparência !!

  31. Luiz

    O Blog da Petrobras está apenas se propondo a registrar o que lhe foi perguntado e o que ela ofereceu como resposta.
    Só questiona este procedimento quem costumeiramente manipula conteúdos, publicando frases fora do contexto e distorcendo informações.
    Agora poderemos comparar o que a Globo, o Estadão, a Folha e a Veja publicam com o que foi efetivamente dito pela Petrobras, em cada ocasião.
    Vitória da TRANSPARÊNCIA, sem dúvida! Até que enfim!
    De onde saiu esta idéia de que uma pergunta tem proprietário intelectual? Uma pergunta, para ter significado jornalístico, precisa se concatenar com respostas, estas sim de propriedade de quem as oferece.

  32. marcelo barros

    COM CARTA OU SEM CARTA ..MAIS UMA VEZ O GOVERNO LULA JA ESTA BLINDADO CONTRA QUALQUER DENUNCIA DE CORRUPÇÃO..ISSO SO VAI ENCHER O NOSSO SACA DE MERDA E O DELES DE DINHEIRO ..GOVERNO LULA DESORDEM E RETROCESSO..ISSO QUE DEVIA ESTA ESCRITO NA BANDEIRA DO BRASIL ..CORRUPÇÃO JA..GOVRNO LULA O MAIS CORRUPTO DO UNIVERSO E TEM GANTE QUE ACREDITA NESSE MOLUSCO..POVO EGUINORANTE SOMOSSO NOS…

  33. Otávio

    Tanta da…muito dinheiro…podem pagar à PEC 300/2008.

    Estamos de olho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *